Bacharelado em Obstetrícia: segundo o MEC, há 5 cursos de bacharelado em obstetrícia em atividade no país, todos presenciais, sendo 4 de Enfermagem e Obstetrícia e 1 em Obstetrícia.
Um dos médicos alegou que o baixo valor pago pelo convênio o impedia de fazer o parto pelo plano de saúde.Já pensou em ganhar a vida acompanhando mulheres grávidas, desde a evolução da gravidez e até fazer o parto?O profissional pode atuar em hospitais, clínicas de parto, postos de saúde e maternidades.Custos da gravidez: gestantes relatam que preços cobrados em partos particulares variam entre 5 mil a 32 mil reais (Thinkstock/ronnisugiharto) Reclamações A FenaSaúde aconselha que, antes de fazer qualquer reclamação, as gestantes se certifiquem de que o hospital e o médico são credenciados pela operadora.Veja os detalhes do curso, da profissão e do mercado para se tornar Obstetra.Depois de muita insistência, Mariana encontrou uma médica que disse que realizava o procedimento pela Amil.Certamente, é um divisor de águas disse à BBC Brasil a procuradora do MInistério Público Federal (MPF) como ganhar dinheiro em sites americanos Ana Carolina Previtalli Nascimento.Residência em Enfermagem e Obstetrícia, grade do curso de Obstetrícia, os cursos de bacharelado em Obstetrícia e de Enfermagem e Obstetrícia duram em média quatro anos.Sabemos que a gestante confia mais no médico que acompanhou seu pré-natal, mas se ele não fizer o parto pelo plano e a operadora indicar um outro que faça, ela não terá o direito de reclamar perante à ANS, diz Martha.Foi essa a justificativa que ouviu a coordenadora de atendimento Cleide de Almeida Rosa Salconi, 33 anos.Pós-graduação em Ecografia em Ginecologia e Obstetrícia.
Ele acrescenta que o obstetra é pressionado por todos os lados: As doulas acompanhantes de partos com ou sem registro médico que incentivam o parto normal querem matá-lo, as operadoras de planos de saúde não o reconhecem e o governo também não os valoriza.
Ainda que a recomendação faça sentido, gestantes defendem que não é nada fácil confiar um dos momentos mais importantes de suas vidas a um médico desconhecido.



A cineasta Mariana Arantes (nome fictício de 43 anos, é cliente.
Porém, é preciso verificar se o médico está, por contrato, obrigado a realizar o parto pelo plano de saúde.

[L_RANDNUM-10-999]